Superação da violência é tema da Campanha da Fraternidade 2018"/>

Superação da violência é tema da Campanha da Fraternidade 2018

Superação da violência é tema da Campanha da Fraternidade 2018

A cada 8 minutos, uma pessoa é morta no Brasil. São crimes que, na maioria das vezes, ficam esquecidos – casos de homicídio, latrocínio, feminicídio, morte por intervenção policial, dentre outros, espalhados pelo país que, segundo a Organização Mudial da Saúde (OMS), ocupa a nona posição no ranking mundial de homicídios, com 30,5 casos para cada 100 mil pessoas.

Foi para refletir sobre estes números, que a deputada estadual Maria del Carmen realizou, na última sexta (23), na Assembleia Legislativa da Bahia, uma sessão especial alusiva à Campanha da Fraternidade 2018, cujo tema “Fraternidade e a Superação da Violência” tem como objetivo promover a cultura da paz, da reconciliação e da justiça como um caminho para a superação da violência.

De acordo com a parlamentar, buscar a transformação desta realidade é tarefa de todos. Mas, o poder público também tem um papel fundamental na promoção da cultura da paz, através da formulação de políticas que garantam o direito à cidadania e à dignidade da pessoa humana, como outrora foram empreitas nos governos e Lula e Dilma Rousseff, a exemplo das políticas públicas de combate ao racismo, de combate à pobreza, empoderamento feminino e da juventude, dentre outras. “Com o golpe, e a tomada de poder por um governo golpista, as políticas na área dos direitos humanos estão seriamente ameaçadas. Recursos foram cortados, programas extintos. Convivemos agora com a ascensão de grupos políticos que não aceitam a diversidade e propagam a violência e o medo”, salientou Maria.

“Quando o medo domina, a paz desaparece. A violência gera medo e fecha as pessoas em suas casas e seus corações. Encaramos o desconhecido como nosso potencial inimigo. Em resposta a isso, através da Campanha da Fraternidade somos convocados a construir uma cultura da paz, refletindo sobre o que há em nós que pode ser colocado a serviço do outro, a fim de construirmos uma comunidade fraternal e solidária”, destacou o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Kreiger.

O Coordenado da Campanha da Fraternidade da Arquidiocese de Salvador, o padre José Carlos reforça dizendo que a Campanha da Fraternidade é um convite para a reflexão no que diz respeito à vida. Para ele, é preciso nos empenhar para uma promoção efetiva da paz independente da religião, posição social ou política. “Estamos todos incluídos na situação de violência. Situação esta onde muitos saem de suas casas, mas não tem certeza se vão voltar. Mas, isso não é a consequência da violência e não a causa. A causa está nas atitudes reacionárias de intolerância, nas atitudes de discriminação, de rejeição e de injustiça que vivemos: não é possível um país tão rico ter tantos pobres; não é possível que um país majoritariamente cristão tenha tanta violência e tantos crimes. É preciso rever a fé é preciso rever as políticas públicas”, finalizou.

Participaram da sessão, a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Julieta Palmeira; o chefe da Secretaria de Justiça, Cesar Lisboa; o deputado federal Nelson Pelegrino, a vereadora Marta Rodrigues, a representante da Pastoral da Juventude Larissa Lima; e o ex-deputado Yulo Oiticica.