Frente Parlamentar em Defesa das Engenharias, Arquitetura, Urbanismo e áreas afins é lançada na Bahia

Frente Parlamentar em Defesa das Engenharias, Arquitetura, Urbanismo e áreas afins é lançada na Bahia

Em meio a conjuntura econômica e política conturbadas, a Assembleia Legislativa da Bahia lançou, nesta segunda-feira (12), a Frente Parlamentar em Defesa das Engenharias, Arquitetura, Agronomia, Geografia, Urbanismo e demais Áreas Técnicas e Tecnológicas Afins, com apoio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-Ba) e do Sindicato dos Engenheiros da Bahia (Senge-Ba).

De acordo com a presidente do colegiado, pioneiro no país, a deputada Maria del Carmen (PT), a ideia de uma bancada suprapartidária no Legislativo para tratar de matérias relacionadas a essas áreas é, por exemplo, evidenciar os desafios e propor ações para superar o desemprego atual e o que deve ser gerado com o congelamento de investimentos públicos, proposto pelo presidente Michel Temer, pelo prazo de 20 anos. “Reconhecemos a posição estratégica da Engenharia, Arquitetura, Urbanismo e demais áreas para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e o desenvolvimento social e econômico da Bahia e do Brasil. Neste momento de dificuldades, é importante nos unir para defender a autonomia e soberania do nosso país e todos estamos desafiados a buscar o caminho do diálogo e as parcerias para preservar e buscar alternativas de fazer com que as empresas continuem funcionando e a Bahia no caminho do desenvolvimento”, pontuou Maria, que é engenheira por formação.

Maria del Carmen afiançou que o Plano de Trabalho da Frente está previsto para ser finalizado em março de 2017. Dentre as propostas, de atividades, estão: levantar Projetos de Lei Estaduais atinentes às questões ligadas à Frente; criar Projetos de Lei e recuperar todos aqueles de interesse da Frente, a exemplo do PL n° 11.888/2008, de autoria do deputado Zezéu Ribeiro, que visa garantir Assistência Técnica pública gratuita para atendimento à população; debater sobre a descentralização e interiorização de profissionais e técnicos, dentre outras.

Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA), o engenheiro mecânico Marco Amigo informou que a Bahia possui cerca de 65 mil profissionais de engenharia, sem contar os tecnológicos e afirmou que o Conselho está à disposição do colegiado. “Estamos dispostos a dar a nossa contribuição dentro da nossa competência para auxiliar no que for possível os trabalhos da frente”.

“Fico feliz em saber que a Bahia tem frentes estadual e municipal que trabalharão no sentido de embasar tecnicamente os poderes legislativos”, destacou o assessor da presidência do Conselho Federal Engenharia e Agronomia (Confea) e membro da Frente Parlamentar Mista da Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, José Demétrius Viana, segundo o qual, atualmente, o Congresso Nacional, têm cerca de 500 projetos referentes às áreas de abrangência da Frente e o país conta com 1,4 profissionais de engenharia.

O presidente do Sindicato dos Engenheiros da Bahia, Ubiratan Félix, alertou para a necessidade de investimento do Estado brasileiro e defesa das áreas tecnológicas, profissionais e empresas para garantir a economia e a soberania do país. “Todo mundo pode ser do lado A ou B na política, só não pode ser burro”, alfinetou Ubiratan ao se referir ao congelamento de investimentos públicos sugeridos por Temer e devido a problemas econômicos e legais ocasionados pela Operação Lava Jato.

“Este é um fincar bandeira na defesa dos interesses nacionais, uma luz no fim do túnel”, sintetizou o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BA), Guivaldo D'Alexandria ao se referir a importância do colegiado baiano.

Vice-presidente da Frente, o deputado Marcelino Gallo (PT) sugeriu a entrega da Medalha Teodoro Sampaio, engenheiro e um dos maiores pensadores brasileiros de seu tempo, para homenagear, anualmente, profissionais que tenham se destacado.

Na ocasião, o Senge-BA distribuiu a cartilha “50 anos do Salário Mínimo Profissional”, produzida pela Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge).

Participaram da atividade representantes da academia, a exemplo do professor Luiz Edmundo Campos, da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e da coordenadora do Colegiado do Curso de Urbanismo da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), Rita Vieira;  técnicos do Governo do Estado; parlamentares, dentre outras autoridades. 

Postado em 12/12/2016 , usando as tags: Maria del Carmen, Frente Parlamentar, Engenharia, Arquitetura, Geografia, Urbanismo